O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares

Miss Peregrine's Home for Peculiar Children

2012

Ransom Riggs


Este é o primeiro volume de uma trilogia e também é o primeiro livro do autor.

MEUS COMENTÁRIOS:


O jovem protagonista, após sofrer uma perda traumática, parte em viagem com seu pai para uma ilha galesa. Na verdade ele está seguindo pistas deixadas por seu avô. É neste local que ele encontra o Orfanato. A história é contada através do texto, narrado pelo protagonista e usando de apoio algumas fotos originais, pertencentes a coleções pessoais. O próprio Ransom é colecionador de fotografias antigas e, fazendo uso das suas e com o auxilio de outros colecionadores, ele criou esta aventura fantástica.
O "herói" da história é Jacob Portman, de dezesseis anos, de família rica, mimadinho, birrento e chatinho. Seu avô foi um grande amigo, que lhe contava história magnificas sobre o tempo em que viveu no orfanato da Srta. Peregrine, só que Jacob, a medida que vai crescendo, deixa de acreditar nas histórias do avô e começa a desprezá-lo, desrespeitá-lo e rejeitá-lo (sim, Jacob é um desses adolescentes insuportáveis e ingratos). 
Após a morte do avô, executado por uma criatura parecida com algo saído de pesadelos, ele fica em tal estado de nervos que os pais decidem interná-lo. Com esforço ele convence o pai a viajar com ele até gales (o pai logo concorda, já que era admirador de pássaros). Após se assentarem na pensão local, o garoto sai em busca do Orfanato. Encontra o local abandonado e destruído... na verdade, mais ou menos. 
Jacob conhece uma garota, Emma, e através dela acaba conhecendo as outras crianças peculiares, o "verdadeiro" Orfanato e a Srta. Peregrine. Logo é explicado que o grupo e o local estão presos em um loop originado em 1940, na véspera do bombardeio que destruiu o local. Após idas e vindas, conversas e discussões, o rapaz descobre que seu avô fora morto por um hollowgasts (os vilões da história) e que havia um na ilha a espreita deles.
Quando o livro foi lançado eu dei pulos de alegria, antecipando o prazer da leitura, antecipando uma história forte, com mistério, uma boa trama, uma aura gótica, charme na escrita e muito mais, só que infelizmente não encontrei nada disso. 
O inicio do livro é interessante, muito mesmo, mas assim que o avô se retira, o dramalhão começa. As fotografias são muito interessantes e dão um ótimo ambiente ao livro, mas infelizmente Ransom escreveu em cima delas, criando sua história tentando englobar todas as fotos que usa e as coisas ficam estranhas, e eu digo estranhas de forma nada positiva (há um grande exagero para fazer uso de todas as fotos na narrativa).
O livro, direcionado para adolescentes, fazendo uso de personagens adolescentes, mostra os mesmos se comportando como crianças e teria ficado bem melhor se seus protagonistas tivessem lá seus 10, 11 anos, no máximo (Jacob é uma pessoa insuportável, que humilha os funcionários do mercado da família, que reclama o tempo todo por não ter amigos mas que não tem a capacidade de ser simpático com ninguém e os demais personagens são tão rasos que não dá para extrair nada deles, assim como não dá para sentir nada além de irritação por eles, em algumas passagens).
Reforçando, o que mais senti durante a leitura (além de irritação com Jacob) foi o quanto a história é forçada para incorporara as fotografias, mas é forçada sem sutileza alguma, sem despertar o interesse que a fotografia conseguiu despertar. Para completar, a leitura sugere provocar tensão e um pouquinho de terror, sendo que na verdade provoca alguns bocejos. 
Uma pena que uma boa ideia como a de  Ransom Riggs tenha sido aplicada de forma tão medíocre.


Capa do volume 1 e algumas das fotografias usadas.

Um filme foi feito com a magnifica, linda e talentosa Eva Green no papel de Srta. Peregrine e acredito que vá funcionar muito bem como filme, ao contrário do tanto que não funcionou como livro.


Tenho em mãos o segundo volume e pouca vontade de continuar a leitura, então, vou enrolar um pouco e angariar forças para conseguir seguir nesta empreitada ^.^

Volume 1

The Lady in Yellow

Alyne de Winter

Ano: 2014

SINOPSE:

Prestes a completar 19 anos, Veronica Everly assume o posto de governanta de um casal de gêmeos  idênticos conhecidos por Jack (Jacques e Jacqueline), duas crianças cuja mãe está morta e o pai se mantém distante.
A Governanta, Mrs. Twig é tão misteriosa que deixa a moça confusa, a casa é cheia de segredos, os gêmeos sofrem de algum mal mais estranho do que a moça poderia supor e o pai, Rafe de Grimston, é belo, forte, tempestuoso e sofrido.
Belden House é repleto de mistérios. Um sino que toca e não se sabe onde fica, Uma alcateia de lobos que parece surgir do nada, uma dama que aparece durante a Lua Cheia, que se veste de amarelo e tem olhos vermelhos como sangue.
Há uma maldição em Belden House que conduz Rafe de Grimston ao desespero. Tem algo a ver com a antiga igreja que está na floresta, Saint Lupine`s. E tem tudo a ver com a Dama de Amarelo.

COMENTÁRIOS:

Veronica Everly, jovem em busca de um emprego, é enviada a Belden House para ser governanta de um casal de gêmeos. Acontece que os irmãos não são crianças normais; um sino toca, mas ninguém revela onde ele fica e porque ele toca; a protagonista começa a ter blackouts; a história da mãe do casal, Sovay, é trancada a sete chaves e assim por diante. Para complicar ainda mais Veronica se apaixona pelo seu patrão (claro).
Nossa protagonista era filha de atores, mas aos cinco anos eles morreram e ela foi morar com uma tia alcoólatra, que acabou colocando-a em um orfanato. Próxima de completar 19 anos a moça é enviada para Belden a fim de servir como governanta.
Os gêmeos eram um casal, mas tão semelhantes e andróginos que normalmente os demais não sabiam quem era quem. Além disso os dois tinham um que de magia os cercando. A moça tenta desvendar os segredos... a origem do sino, dos lobos, da mulher de amarelo, da morte da mãe das crianças, da igreja abandonada no meio do bosque e tudo isso mesclada a sua luta para não se apaixonar pelo mocinho bonitão e sofrido (luta perdida desde o inicio).
Este livro está classificado como Romance gótico, mas não é. É um livro de mistério paranormal com um pouco de romance. Tem lobisomens que na verdade são vampiros, tem fantasmas, maldições... é uma mistura de tantas coisas que virou uma salada de frutas sem sentido. O mocinho deixa tudo nas mãos da protagonista, das crianças e das empregadas, afinal, são elas que enfrentam todos os problemas enquanto ele some. Eu achei um livro bem decepcionante, pois havia lido alguns comentários positivos sobre ele, só que, como eu já citei, é uma grande confusão. Tanto que pouco tempo depois de ler eu até esqueci dos detalhes da história e tive que me esforçar para lembrar de algo. A leitura não foi uma perda completa, mas está longe de ser algo que marque. Recomendo para passar o tempo sem grandes expectativas.

EBOOK AQUI - INGLÊS



Uma das capas mais nada a ver que já encontrei.

Here Comes a Candle

Jane Aiken Hodge

SINOPSE:

Kate Croston escondia sua beleza na simplicidade, mas desde o inicio Jonathan Penrose sabia que ela havia tocado seu coração. Ele sabia apenas que ela era inglesa, viúva e que não possuía dinheiro. Quando Jonathan ofereceu a ela a posição de acompanhante da pequena e problemática filha, não havia antecipado a raiva que provocaria em sua esposa. E Kate não estava preparada para os pesadelos que a aguardavam e nem o risco que corria de jamais poder ser feliz novamente.

COMENTÁRIOS:

O livro começa mostrando a protagonista, Kate Croston, no Canadá.  Jovem, viúva, estivera cuidando de uma senhora de boa família a espera do filho desta vir buscá-la. Infelizmente a senhora é morta por soldados e ela quase tem o mesmo destino. Acontece que o filho de sua patroa era alguém importante e conhecido e a tira das garras dos soldados, levando-a consigo para a Nova Inglaterra, após oferecer-lhe o emprego de acompanhante da filha.
Seu novo patrão, Jonathan Penrose conta que a filha, Sarah, costumava ter pesadelos quase todas as noites e havia parado de falar já a algum tempo. Na verdade a pobre criança parece uma selvagem e ninguém realmente faz algo para curá-la, para alimentá-la, para limpá-la... sério, fiquei irritada com aquele povo... massss, a mocinha começa a fazer a diferença (trombetas tocam ao fundo).
A mãe da criança é linda e uma bruxa de primeira! Não liga para a criança, é uma megera com o marido e fica furiosa por ele ter trazido uma ama para a menina. Na verdade a dona da casa queria internar a criança.
Não bastasse a tensão causada pelos desentendimentos entre  esposa e marido, ainda chega a cidade o Capitão Manningham, que, descobrimos, arruinou o pai de Kate, provocando sua morte e depois tentou estuprá-la. Claro que ele se une a esposa do protagonista, tudo para tornar aceitável uma mocinha e um mocinho se apaixonando quando ele é casado com outra (como isso é recorrente, credo).
Pelo menos quando o livro começa o protagonista ama a linda esposa. Só que ela se comportando de forma tão vilanesca com a filha, que esse amor acaba se dirigindo para Kate, que consegue fazer a menina voltar a se comportar "quase" de forma normal. Nada de surpreendente aqui. 
Não gostei deste livro. Não simpatizei com as personagens. Não simpatizei com a trama. Não é realmente um livro gótico e o suspense em relação ao trauma da criança me pareceu muito fácil de descobrir.

EBOOK AQUI - INGLÊS




Marry in Haste

Jane Aiken Hodge

SINOPSE:

Camilla Forest se encontra sozinha em uma estrada molhada, por conta própria, quando a carruagem de Lord Leominster aparece e para. Este é o inicio de um acordo de casamento que deveria satisfazer os dois. Eles mudam para Portugal, levando junto a irmã mais jovem do Lord, Chloe. Camilla se apaixona por Leominster, mas seu meio-irmão francês pode colocar tudo a perder.

COMENTÁRIO:

A trama é uma tolice só; o romance é extremamente raso, as personagens não tem rosto - já que não são descritas - e a aventura é patética. Bom, eu nem chamaria de aventura, muito menos de mistério.
A protagonista, Camilla, se apaixona pelo mocinho instantaneamente só porque ele a salvou e porque ele é bonito. O protagonista não confia em mulheres. Isto é frisado O LIVRO INTEIRO! Até o ponto que você fica com vontade de espancar o cara. O trauma de infância justificaria não se sentir seguro confiando em algumas mulheres, mas, caramba, mulheres não são feitas em série e, depois de tantos anos, insistir nisto, parece infantilidade.
Deveria haver uma trama de espionagem (ou algo parecido). Lavenham (Lord Leominster) tem uma missão em Portugal, por isso vão morar lá. Mas NUNCA sabemos que diabos o homem faz, ou deveria fazer. 
A época é perfeita para uma trama de espionagem (guerras Napoleônicas) mas a autora desperdiça esta carta. A maior parte do tempo o mocinho ou está viajando fazendo sabe-se lá o que, ou está em bailes. Para completar ele sai na tal missão e deixa esposa e irmã sozinhas quando está prestes a eclodir uma guerra em Portugal. As duas precisam se virar e sobrevivem por sorte e esforço.
Sinceramente, este livro é completa e absolutamente estúpido e esquecível! Para quem quiser arriscar uma leitura tediosa, abaixo o link. Boa sorte.

EBOOK AQUI - INGLÊS


Capa absolutamente Perfeita.
Pena que ela é perfeita para um romance gótico,
o que não é o caso.


O Grande Segredo

Lilian Peake

SINOPSE:

Não é fácil amar um homem como Todd Alexander, pensava Alicia, caminhando sozinha pelos parques de Londres. Desejavam-se loucamente, beijavam-se até quase perder a razão... mas era só. Todd era um homem duro, um patrão exigente e não confiava em mulher alguma. Mas Alicia ia conseguir provar a ele que o amava! Então, quando seus esforços começavam a mostrar osprimeiros frutoss, aconteceu a tragédia: informações secretíssimas da firma de Todd foram parar nas mãos de concorrentes. E, quando ele a olhou, Alicia viu que estava perdida: Todd tinha certeza de que a espia era ela!

EBOOK AQUI


Mais Forte que o Ódio

Lilian Peake

SINOPSE:

Rosalind teve uma bela surpresa quando, oito anos mais tarde, reviu Slade. Aquele adolescente tímido e desajeitado tinha se transformado num homem lindíssimo. Mas o encantamento durou pouco, porque Slade estava de volta, só para vinga-se dela. Na adolescência, Rosalind tinha repelido ostensivamente sua corte, chamando-o de pirralho, magrela. Agora o irmão de Rosalind estava quase falido e Slade se propunha a ajudá-lo, desde que ela se casasse com ele. Não havia saída para Rosalind, e ela aceitou. Mas o pior ainda estava por vir; em pouco tempo, Rosalind se apaixonou por aquele homem lindo, interessado apenas em humilhá-la?

EBOOK AQUI


O Oasis do Amor

Margaret Rome

SINOPSE:

Depois que saiu do orfanato, a vida de Sara tinha se transformado numa roda-viva de viagens e jogatinas, que sustentavam a ela e ao avô. Ela adorava o avô, e as aventuras que viviam juntos tinham seu lado divertido, interessante ... mas acabaram trazendo sérias consequências. Não que Sara não sonhasse em se casar e ter filhos, como qualquer moça. Mas jamais poderia imaginar que um dia o destino a levasse àquela situação: aprisionada em uma aldeia de bárbaros marroquinos, ela ia ser obrigada a dizer adeus a suas lindíssimas roupas europeias, aos costumes de uma vida inteira, para se pintar toda de henna e tornar-se .. a noiva de Rif!

EBOOK AQUI


Momento de Decisão

Margaret Rome

SINOPSE:

Nem em sonhos Samantha imaginaria aquele paraíso de perfumes exóticos, de flores sempre vivas, banhadas pela luz de um sol eterno. Ilha da Madeira... onde a vida de Samantha começou de novo, movida pelo amor e pelo ódio, lá ela conheceu João Gonçalves Zarco, o senhor de tudo, um homem poderoso que dominava sua vontade como se ela fosse uma escrava. Como Samantha o detestava! Em apenas um encontro, Zarco destruiu sua inocência, fazendo o desejo invadir seu corpo como uma erva daninha. Como ela o queria! Insegura, dividida, Samantha não linha mais certeza de nada. Qual seria seu destino?

EBOOK AQUI


Arte Original II

Algumas artes de capas de romances de época apenas com as damas.
Gostei muito do colorido.












Alma ?

Soulless - Alma?

The Parasol Protectorate Vol 1 - O Protetorado da Sombrinha vol 1

Gail Carriger

2009

SINOPSE:

Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Em primeiro lugar, ela não tem alma. Em segundo, é solteirona e filha de italiano. Em terceiro, acaba sendo atacada sem a menor educação por um vampiro, o que foge a todas as regras de etiqueta.
E agora? Pelo visto, tudo vai de mal a pior, pois a srta. Tarabotti mata sem querer o vampiro ― ocasião em que a Rainha Vitória envia o assustador Lorde Maccon (temperamental, bagunceiro, lindo de morrer e lobisomem) para investigar o ocorrido.
Com vampiros inesperados aparecendo e os esperados desaparecendo, todos parecem achar que a srta. Tarabotti é a responsável. Será que ela conseguirá descobrir o que realmente está acontecendo na alta sociedade londrina? Será que seu dom de sem alma para anular poderes sobrenaturais acabará se revelando útil ou apenas constrangedor? No fim das contas, quem é o verdadeiro inimigo, e... será que vai ter torta de melado?
Uma das séries de Steampunk mais cultuada do mundo.


COMENTÁRIOS:


O volume inicial desta série começa com a protagonista, Alexia Tarabotti, muito bem escondida na biblioteca da casa de um Duque, durante um baile. Como já havia atingido a idade de ser considerada uma solteirona e isso era constrangedor, a dama decidira ficar a vontade na biblioteca, além de mandar que lhe levassem comida (coisa inexistente no salão). Muito mais disposta a comer do que dançar, a senhorita Tarabotti é surpreendida por um vampiro extremamente mal vestido e mal educado. O tal vampiro a ataca e ela acaba por matá-lo meio que por acidente. Quando um grupo de dandies chega a biblioteca ela simula um desmaio, mas Lord Connall Maccon, Conde de Woolsey, um lobisomem escocês e membro ativo do Bureau de Registros de Criaturas Antinaturais , chega e acaba com sua farsa.
A partir daí começamos a ser apresentados aos protagonistas e ao ambiente. Alexia é uma Preternatural, pois não tem alma, sendo o contrário das criaturas Sobrenaturais, como vampiros e lobisomens. Como não possui alma, Alexia tem a capacidade de, através do toque, anular os poderes sobrenaturais (esta condição fora herdada de seu falecido pai).
A protagonista acaba se envolvendo em uma investigação relacionada ao desaparecimento de criaturas sobrenaturais. Na verdade, ela mesma dá inicio a uma investigação paralela a investigação oficial, o que coloca sua vida em risco várias vezes. 
A sociedade vitoriana mostrada no livro de Carriger já convive com criaturas sobrenaturais há mais de 300 anos, fazendo com que tudo pareça normal. Na verdade, ela mal revela o quanto foi importante a presença destas criaturas nas mudanças que o mundo sofreu. Há alguns comentários sobre como os sobrenaturais ajudaram nos avanços da tecnologia, mas só se fala realmente no uso do alumínio, jóias e balões como forma de transporte.
Confesso que foi decepcionante ler que, apesar de ser em um cenário Steampunk, os personagens ainda usavam cavalos e carruagens, a medicina era básica e estavam apenas aprendendo a usar o gás. Nem telégrafo existe. As regras da sociedade apresentadas são as mesmas que encontraríamos em um romance de época padrão. Mas o mais difícil é aceitar que toda a população não liga por ter vampiros e lobisomens entre eles, podendo ser devorados se alguns destes assim decidir. O resultado desta mistura é bem insatisfatória e carece de sentido. Eu tinha muitas expectativas sobre este livro, mas no quesito Steampunk é uma grande decepção. No quesito romance também, já que o protagonista é um grosso resmungão e eu não gosto de bodice-ripper.
Na minha opinião Carriger colocou muitos elementos e não soube desenvolvê-los. Ela parece ter escrito um romance de época e então pensou: hummm, vamos colocar vampiros, lobisomens, fantasmas, etc para circular pelas páginas e também com um visual Steampunk. No fim a história se concentra no romance, depois no lado sobrenatural e a parte Steampunk mal está lá, na presença de algumas aeronaves, algumas gadgets mal descritas no funcionamento e cientistas malucos. Resumindo: foi na onda dos livros com criaturas sobrenaturais.
Sobre o romance, no inicio eu até achei divertido, mas a medida que a história avançava começou a me irritar. De diálogos divertidos passamos a ter cenas de amassos e a protagonista pensando em como era difícil ter 26 anos e ser solteira e então mais amassos inadequados para a época e classe da moça. Confesso que continuei a ler por conta de Lord Akeldama, que me fez rir e do Beta da matilha de Woolsey. Só estes dois me levaram a ler o segundo livro (na verdade, ainda estou lendo).
Se você gosta de romances com criaturas sobrenaturais, aproveite. Se você gosta de Bodice-ripper, aproveite. Se você gosta de Steampunk, nem chegue perto. Se você gosta de romance de época sendo romance e de época mesmo, desista.

NOTA:

A série de livros foi adaptada para mangá. Dei uma espiada nas imagens e achei que a história se adaptou melhor a este meio do que o de livro. A arte é muito linda e não vejo a hora de poder ler tudo.


Capa do primeiro volume do mangá
  
Cena do ataque na biblioteca

Lord Maccon de forma engraçada

Bela arte.
Gostaria de ver um anime.

EBOOK AQUI


Foto da autora ^.^

 
Mistério das Letras Blog Design by Ipietoon