Pecador - Charlotte Featherstone.

Ele deve encontrar a redenção no mais improvável dormitório...
Na Inglaterra Vitoriana, depravações de todos os tipos podem ser compradas e Matthew, o Conde de Wallingford, certifica-se de beneficiar-se de cada prazer possível. Entediado e cansado, ele é tão famoso por sua frieza, quanto por seus relacionamentos imorais com belas mulheres.
Enquanto esses numerosos flertes preenchem as necessidades físicas de Matthew, eles secretamente o deixam embotado e emocionalmente vazio. Até uma noite, quando se vê espancado, com os olhos enfaixados e aos cuidados de uma enfermeira com uma voz de anjo – e um toque gentil que acalma a escuridão dentro dele e o faz ansiar por mais.
E Jane Rankin é uma humilde enfermeira, considerada tímida e sem atractivos pela maioria. Não há lugar para ela entre os lordes e ladies da aristocracia – apesar do crescente desejo de Matthew pelo fogo que queima por debaixo da fachada séria. E então há o segredo de Matthew. Um segredo tão humilhante e escandaloso que poderia destruir a todos os quem ama. Um pecado, ele teme, que nem mesmo o amor de uma boa mulher poderá apagar…

MINHA OPINIÃO:

Fiquei curiosa em relação a este livro após ter lido uma critica favorável sobre ele. Segredos terríveis do passado de algum protagonista sempre despertam minha curiosidade. Este foi o único motivo que me levou a ler toda a história, já que Pecador não é o tipo de livro que me atrai se quer remotamente. Bem, vamos a história em si e aos personagens principais:
Mattew tem um segredo "terrível" que transformou sua vida. Ele passa os dias e noites sem distinção se entregando aos prazeres da carne, cometendo todos os pecados possíveis de se imaginar, sem preocupações com o futuro e sem esperanças. Não existe ninguém no mundo que Mattew ame além de sua irmã mais nova, uma garota de 17 anos um pouco "simples" (como ele mesmo define a deficiência da moça).
Nobre, rico e inútil, seria assim que eu o definiria. O cara parece estar constantemente no cio. Mesmo odiando a mulher com quem se deita, ele fica todo a postos e manda ver, afinal "é a unica coisa que ele sabe fazer". Lendo a história você chega realmente a esta conclusão. Mattew não tem cérebro! É um animal no cio que está sempre disposto a pegar todas as fêmeas que passarem por perto. Numa de suas aventuras em bordeis ele é atacado e ferido e vai parar em um hospital, onde é tratado pela doce enfermeira Jane.
A doce e " timida" Jane mal o vê e já começa a desejar-lhe o corpo e em questão de um dia já tem uma cena que beira a pornografia com ele. Alias, as cenas de sexo podem ser caracterizadas de Hot, mas eu achei que elas beiram perigosamente o limite entre Hot e pornografia explicita. Claro que a descrição da forma que foi feita serve para salientar a forma de vida do protagonista, mas acaba ficando chato. Eu não gosto de livros com pouco desenvolvimento de história e muitas,muitas,muitas (quase infinitas) cenas de sexo.
Voltando a Jane, a moça tem 27 anos, se manteve virgem, independente, etc, mas decide se entregar pro cara mais pervertido de Londres depois de passar dois dias cuidando dele (aproximadamente). Ela era filha bastarda de um nobre e de uma prostituta e mesmo sabendo o que a aguardava colocou toda a racionalidade de lado por um homem que conhecia a pouquíssimo tempo.
Mais cenas hot e ela vai encontra-lo a luz do dia, sem usar um véu (como ela usou no primeiro encontro) e com ele sem usar as bandagens (como estava no hospital). O que acontece? Ele não a reconhece e ainda por cima desdenha dela porque ela não é bonita. Este mesmo homem que tinha dito que estava louco por ela, etc...sei...ele se quer reconhece a voz dela, o cheiro, nada! Mesmo tendo citado o perfume que ela havia usado quando ele estava de bandagens, ele não reconhece o perfume. IDIOTA!!!!
A moça finge ser outra pessoa e dá o fora nele. Ele a ofende ainda mais oferecendo dinheiro para saber onde encontrar "sua Jane". Claro que mais tarde o cérebro dele volta a funcionar e ele a reconhece, durante as festividades do casamento de seu melhor amigo com a melhor amiga de Jane, mas, logo os neurônios se apagam novamente, pois ele a acusa de ter se divertido as suas custas. Claro que ele não lembra das palavras que disse a ela e tudo o mais. Pobre Mattew, sempre a vitima.
A esta altura eu estava muito, muito cheia dele. Jane de tímida não tinha nada; uma língua rápida, esperta e tudo o mais e que perdia a inteligência só no que dizia respeito a ele porque, aparentemente, ela também estava começando a entrar no processo de perder toda a capacidade de resistir aos avanços físicos dele. A sensação que me deu foi a de que atração física deixa as pessoas irracionais além da estupidez mais profunda e que qualquer outra espécie de sentimento não tem importancia.
Muita água rola debaixo desta ponte... na verdade, muitas cenas de sexo leve, pesado... ficamos sabendo do grande segredo de Mattew ...

SPOILLER

...e é decepcionante. Pelo menos foi para mim. Piorou ainda mais a imagem que eu tinha dele. vejamos, Mattew era um pecador que cometia as piores atrocidades porque a segunda mulher de seu pai, de 22 anos, tinha feito sexo oral nele quando ele tinha 15 anos (façamos de conta que aos 15 anos naquela época o rapaz ainda fosse virgem) e depois os dois haviam se tornado amantes. Um rapaz de 15 anos ainda não é adulto mas sabe o que é certo e errado e foi decisão dele se tornar amante da madrasta. Para completar a mãe dele, anos atrás, tinha morrido ao tentar fugir com o amante e o professor de latim o espancava e torturava. Depois disso tudo a madrasta-amante ficou grávida, ou seja, ele era pai da irmã mais jovem. A madrasta malvada, com ciúmes do amor que ele sentia pela filha-irmã, tentou afogar a criança quando esta tinha 2 anos e a menina ficou "lerda".
Tudo isto aconteceu e Mattew não tentou livrar sua filha daquela família horrível, que esperava com ansiedade que a menina morresse logo, ele não fez nada quando a madrasta-amante tentou matar a criança, ele ficava excitado na presença da mulher que tinha tentado matar sua filha e blá,blá,blá. Por tanto trauma eu pensei que a mãe dele é que tinha sido a autora dos abusos, não a madrasta. Como resultado disto tudo, o que ele fez foi ter uma vida dissoluta e ser um inútil metido a frio e indiferente enquanto que era um idiota. Não suporto pessoas que se fazem vítimas do destino e este... minha nossa, ele se superou.
Para completar, quando finalmente superou a maior parte de seus traumas, é "obrigado" a casar com outra e deixar Jane. Mais uma vez ele não fez nada, ele não lutou ele só se entregou. *suspiro*. Claro, temos o final "feliz". Uma Jane que se torna amante oficial dele, morando juntos como uma família feliz com a filha mais velha dele e o bêbe que a esposa lhe deu antes de sair pelo mundo. O epílogo que não saiu com o livro tenta dar uma remendada nisto, mas para mim ficou a sensação de que Jane foi escape de Mattew a história toda. Usada, descartada, retomada e assim por diante, até ter uma filha e estar oficialmente casada com ele. Sinceramente, eu detestei este livro. Era para ser algo tocante, traumatizante, profundo e para mim ficou superficial na parte da história e cheia de requintes nas cenas de sexo, que, como eu já disse, são em profusão. Nada contra cenas de sexo quando elas se encaixam na história, é obvio, mas quando o livro basicamente gira em torno disso, com um protagonista que pegaria uma moita, eu dispenso. Claro, esta é a minha opinião e eu sou o tipo de pessoa que prefere um romance ao estilo Jane Austen e que tem Jane Eyre na lista de livros favoritos. Um romance com suspense, reviravoltas, tensão etc... :-)

0 comentários:

 
Mistério das Letras Blog Design by Ipietoon