Sandman: Prelúdios e Noturnos

Volume 1
  • Autor: Neil Gaiman
  • Artistas: Sam Keith, Mike Dringenberg, Malcolm Jones III
  • Letras: Todd Klein
  • Cor: Robbie Busch
  • Cor: Daniel Vozzo
  • Capas: Dave McKean
  • Introdução: Paul Wilson

SINOPSE:

Esta edição contém as 9 primeiras edições que deram origem a um dos melhores personagens de "horror" e fantasia já criados. Saído da poesia insana de Neil Gaiman, Sandman tem o poder de, com apenas um punhado de areia, transformar sonhos em assustadores pesadelos, espalhando o medo... num eterno despertar.


CAPÍTULOS:

1) O Sonho dos Justos:
Sonho é preso acidentalmente por um homem que tentava capturar a Morte. Após 60 anos feito prisioneiro, Morpheus consegue escapar. Alguns elementos que aparecerão em arcos futuros já são plantados nessa primeira história, como a gravidez de Unity Kinkaid.

2) Anfitriões Imperfeitos:Sonho retorna para seu reino e encontra tudo desorganizado. Ele consulta as Três Bruxas a fim de encontrar seus artefatos de poder: a Algibeira, o Elmo e o Rubi.

3) Dream a Little Dream of me:Sonho vai a Londres, ao encontro de John Constantine, que o ajuda a encontrar a Algibeira. Este capítulo é um bom exemplo de uma forte característica no trabalho de Gaiman: utilizar letras de músicas, seja em títulos, diálogos ou mesmo ao fundo, como se fosse parte do cenário.

4) Uma Esperança no Inferno:Sonho vai ao inferno para reaver seu Elmo. Para tanto ele deve enfrentar o demônio Chorozon em um jogo traiçoeiro.

5) Passageiros:
John Dee (Dr Destino) e Sonho, cada um a sua maneira, tentam reaver o Rubi do Poder, que está em um depósito da Liga da Justiça. Dee estava no asilo Arkhan e, ao sair, nos presenteia com a história mais chocante que já li; violenta e perturbadora.

6) 24 Horas:
John Dee usa o poder da Pedra do Sonho para manipular pessoas em uma cafeteria enquanto aguarda pela chegada de Sonho e pelo confronto entre ambos. Mais violência em um nível que eu jamais havia encontrado em uma revista em quadrinhos e outra personagem, que virá a ser citada em arcos futuros.

7) Som e Fúria:Dee segue Sonho até o Sonhar, onde eles lutam pelo controle do Rubi.

8) O Som de suas Asas:
Sonho reencontra Morte... e leva uma tremenda bronca.

9) Contos na Areia:Um belo e triste conto de amor que serve de passagem da infância para a vida adulta.


COMENTÁRIOS:

Quando eu tinha 18 anos e estava avançando na minha febre por quadrinhos, descobri um encadernado completo de Neil Gaiman; tinha o nome Sandman, escrito bem grande na capa e o título era Um Jogo de Você. O preço era leve para o volume, que tinha a história completa (para quem não sabe - e eu não sabia na época - cada arco de Sandman tinha um título e era vendida em volumes fininhos e que custavam uns 10 reais; eu paguei uns 5 reais por toda a história). Foi assim que começou minha paixão por Neil gaiman e minha coleção do mundo dos sonhos.
Pois bem, 22 anos depois eu tenho quase todos os quadrinhos feitos por Gaiman e minha coleção de Sandman é completa, com volumes de luxo dos quais tenho muito orgulho. Comecei a reler cada um deles semana passada, então, decidi fazer as resenhas de cada arco. O primeiro arco consta de 9 histórias (na verdade são 8, com uma história de brinde, a nona, que dá pinceladas de uma personagem que vai ser importante no futuro, mais precisamente em Estação das Brumas) e se chama Prelúdios e Noturnos. Como Gaiman estava apenas apresentando o universo do sonho, as histórias ainda não haviam assumido as características do autor e toda a profundidade e poesia que ele conseguiu nos volumes seguintes.
Ao ler este volume inicial (ou as 8 primeiras publicações) o que ficamos sabendo é o seguinte: Um mago, que estava tentando capturar a Morte para que assim se tornasse imortal, comete um erro e prende Sonho, o irmão mais novo da Morte. Temendo as consequências de seus atos o mago mantém Sonho preso por décadas, sempre tentando uma barganha. Sonho nunca responde, ano após ano, aguardando sentado em sua prisão de vidro e magia. Chega então o momento (depois de uns 60 anos) e Sonho, ou Morpheus, consegue a liberdade e então retorna a seu reino (que está uma bagunça completa), para depois sair em busca de seus pertences, tomados pelo mago que o aprisionou e perdidos sabe-se lá onde com o passar dos anos. Nesta busca nós encontraremos, junto com Morpheus, John constantine (Alô, Monstro do Pântano e Hellblazer), Lucifer, alguns heróis e a Morte.
Em retrospectiva: Morpheus é o Senhor dos Sonhos, um dos Eternos, cujos irmãos são, por ordem de nascimento: Destino, Morte, o próprio Sonho, Destruição, Desejo, Desespero e Delírio (é divertido como todos tem nomes que começam por "D" em inglês).
O que mais gosto em relação a escrita de Neil Gaiman, especialmente em Sandman, é a forma com que ele incorpora mitos, fabulas e sonhos direcionados a um publico adulto. A escrita de Gaiman é eloquente, poética, cruel e íntima; parece que ele conversa diretamente com você, parece que aqueles personagens realmente existem e é importante para você que tudo dê certo para eles.
Não vou citar todos os artistas fantásticos que trabalharam junto a Gaiman ao longo dos volumes, pois foram muitos, mas preciso fazer um aparte para as capas fantásticas de Dave Mckean, que eu amei desde o primeiro segundo que meus olhos caíram sobre elas. A forma com que ele usa objetos e técnicas é soberba e me emociona e provoca uma grande inveja por não ter pensado em nada daquilo antes de ele ter me mostrado o caminho.
Este volume trata sobre ideias, arquétipos e, o mais importante, sobre sonhos. Sobre O Sonho, que é quem decide se teremos sonhos ou pesadelos e que reflete em como viveremos nossas vidas despertas. É nesta leitura que teremos a primeira visão de Morpheus, um protagonista surpreendentemente profundo e complexo. Ele pode ser maldoso e vingativo, distante e frio, mas também pode ser gentil e compreensivo, vulnerável e apaixonado. Nós damos vida a ele através dos sonhos, mas não se enganem, ele não é como nós, não pensa como nós e nem sente como nós. 
Quando comecei a reler Sandman fiquei surpresa ao constatar que as histórias continuavam tão fantásticas quanto eram quando li pela primeira vez. Meu olhar não era mais o mesmo, mas o encanto permaneceu. É interessante que este arco inicial de Sandman é considerado o mais fraco da série, mas é aqui, nestas páginas, que estão as sementes do que virá no futuro, tão perfeitamente entrelaçado. 

No Blog O Grito você pode ler mais sobre Sandman no texto Sandman para Iniciantes.
Esta é a capa do meu volume 1, 
capa dura e com toda a arte na parte interna, 
além de vários textos adicionais e fotografias.

Capas em inglês, variações.
Todas belas, é claro.

0 comentários:

 
Mistério das Letras Blog Design by Ipietoon