Doctor Who

Depois de muito enrolar para ter tempo de criar coragem, finalmente vou "tentar" fazer um post comentando uma de minhas séries favoritas: Doctor Who. É algo tão assustadoramente complexo que parece uma missão quase impossível; mesmo assim, vamos a Doctor Who e seu universo cheio de maravilhas :-)



SOBRE O QUE SE TRATA:

Doctor Who é um seriado britânico, o que, na minha opinião, já é meio caminho andado em direção a perfeição. Nele acompanhamos as aventuras vividas por um Senhor do Tempo conhecido por The Doctor, que vem de um planeta chamado Gallifrey e que explora universo e tempo em sua máquina do tempo/nave chamada TARDIS, cuja aparência exterior se assemelha a uma cabine de polícia londrina dos anos sessenta, mas que por dentro é imensa e parece uma nave espacial bem ao estilo dos anos 60 (e isso geralmente rende o comentário: É maior por dentro!).
Doctor Who foi exibido de 1963 até 1989 (num total de 26 temporadas) e depois disso suspensa até 1996. Em 2005 foi relançada e teve um sucesso imenso, até o momento atual.
Inicialmente o programa tinha como principal interesse ensinar história e ciência aos telespectadores, mas aos poucos a ficção científica tomou o lugar do interesse didático, mudando os rumos da série.
O Doutor era apenas um extraterrestre excêntrico com vasto conhecimento sobre as mais variadas matérias, que gostava de viajar e não suportava injustiças. Aos poucos descobrimos que na verdade o Doutor é um Senhor do Tempo renegado e que é o ultimo de sua espécie.
O Doutor tem a capacidade de regenerar seu corpo, assim evitando a morte (na verdade essa história surgiu quando o ator original decidiu se retirar da série). Desde então sempre que é necessário substituir o ator principal é usada a explicação da regeneração, contudo foi estabelecido num episódio que um Senhor do Tempo poderia se regenerar apenas 12 vezes, num total de 13 encarnações. Até o atual momento o Doutor passou por este processo 10 vezes, sendo que em cada uma de sua regenerações muda, além da aparência, estilo e particularidades, apesar de manter as memórias.
Outra marca característica de Doctor Who são seus "companios". Ele sempre viaja com pelo menos um acompanhante, às vezes chegando a três e geralmente um deles sendo do sexo feminino.

COMENTÁRIOS:

Eu sabia da existência da série atual, mas não conseguia me decidir a assistir. Eu tinha a impressão de que era algo muito sem pé nem cabeça e tolo, mas, meu marido criou coragem e baixou a quinta temporada, que era a primeira temporada do atual Doctor (o décimo primeiro). Foi amor a primeira vista. Eu ri, eu gritei, eu amei cada segundo (e meu marido também)!!!!
O que aconteceu foi que devoramos a quinta e sexta temporada e os primeiros episódios da sétima. Daí decidimos assistir a primeira temporada do relançamento. Infelizmente, depois do incrível Doctor de Matt Smith e dos roteiros fantásticos, não gostamos dos dois primeiros episódios e pulamos para a terceira temporada, que já tinha o décimo Doctor e não tinha a Companion Rose, que detestamos. David Tennant foi perfeito, mas as histórias da terceira temporada não nos encantaram. Insistimos e então veio a quarta temporada... pois bem, a quarta temporada é perfeita! Absolutamente perfeita. David Tennnat nos encantou de tal forma que, quando ele terminou os especiais e regenerou, eu chorei. Sério. Chorei feito uma menininha.
Depois disso assistimos novamente o primeiro episódio da quinta temporada, em que Matt Smith aparecia no lugar de David Tennant e foi algo como choro e riso. Foi difícil. Eu sentia imensamente a falta de David Tennant e ao mesmo tempo fiquei imensamente feliz por rever Matt Smith. A partir daí eu só confirmei o que já suspeitava: Eu estava perdida! Doctor Who me conquistou de tal maneira que não consigo me imaginar sem a série. Vamos insistir assistindo toda a primeira temporada do relançamento e depois a segunda temporada já com o Tennant. Vale a pena suportar Rose (e quem sabe ela não é tão chata assim) até que Doctor Who volte ano que vem. Ahhh, não esqueçamos o especial de Natal, que passa todos os anos e neste ano irá introduzir a nova companion do Doctor.

MINHA OPINIÃO SOBRE OS DOUTORES DO RELANÇAMENTO:

Nono Doctor = Christopher Eccleston

Vimos apenas dois episódios com ele, mas sei que ele participa apenas da primeira temporada. Pelo pouco que vi gostei, mas nada de especial. O ator saiu da série porque não queria sua imagem vinculada ao tipo de cultura que vinha com o personagem (tolinho).



Doctor 9 e Companion Rose

Décimo Doctor = David Tennant


Vimos duas temporadas e vários especiais com ele e eu gostei de cara. A medida que os episódios passavam eu gostava mais e mais dele. Tennant fez um Doctor ensandecido, com uma linha de pensamento divertida e inconstante, que lembrava a descrição mais perfeita de um aquariano completo e uma fúria que precisava ser controlada antes que ele destruísse tudo a sua volta.

Doctor 10 e Companion Rose

Doctor 10 e Companion Martha

Doctor 10 e Companion Donna

Décimo Primeiro Doctor = Matt Smith

Ele é perfeito. Às vezes parece uma criança, às vezes parece mesmo o ser de mais de 900 anos que ele é. Mais justo que os anteriores, mais controlado e consciente, dá importância de todas as formas de vida.

Doctor 11 e Companions Rory e Amy Pond (Meus favoritos).


MAIS EXPLICAÇÕES SOBRE A SÉRIE:


Primeira temporada


Reestreando em 26 de março de 2006 o novo Doutor (o 9º, interpretado por Christopher Eccleston), faz sua primeira aparição após uma guerra temporal entre Daleks e Time Lords. Ele encontra sua nova companheira, Rose Tyler, uma vendedora de loja que é salva por ele e que após o ajudar na primeira aventura, deixa a mãe viúva e o namorado para viajar com o Doutor. Os dois viajam pelo tempo e espaço durante a temporada toda, com um Doutor muito sentido por ser o último de sua raça e o arco todo dela girava sobre o “Bad Wolf”, criatura que Rose se torna no último capítulo da temporada com a energia do núcleo da TARDIS, uma espécie de semi-deusa capaz de manipular a realidade ao seu bel prazer.Os últimos capítulos da temporada, onde é desvendado o Bad Wolf, termina com o Doutor salvando a Rose e se ferindo, sendo obrigado a regenerar no 10º Doutor. Esta temporada introduz um de meus personagens favoritos, o Capitão Jack Harkness

Segunda temporada


O novo Doutor (David Tennant) continua seu envolvimento com Rose Tyler, partindo em várias aventuras onde os dois se envolvem de uma maneira romântica, rara na série. O arco principal da temporada é o aparecimento da nova série Spinoff do Doutor, Torchwood (com o Capitão Jack Harkness). O Doutor enfrenta de uma vez os seus piores inimigos, mas perde sua companheira em uma das cenas mais tocantes da série. O Doutor termina a temporada chorando pela Rose até que aparece uma noiva no meio TARDIS, no espaço, eles discutem e vem o primeiro capítulo da 3ª temporada.

Terceira temporada


O Arco da terceira temporada toda leva até o grande evento que apenas se revela totalmente nos últimos quatro capítulos sequenciais, quando o Doctor reencontra outro sobrevivente de Gallifrey, o Mestre. A nova companheira do Doctor é Martha Jones, médica que ele salva junto com todo um hospital que é transportado para a Lua. Nesta temporada somos apresentados aos inimigos mais fantásticos do Doctor: os Weeping Angels, no episódio Blink.

Quarta temporada


Nesta temporada o Doctor reencontra a noiva que surgiu em sua TARDIS, Donna Noble, que passa a ser sua nova companion. Também é nesta temporada que o Doutor conhece uma personagem muito importante e misteriosa, a Drª River Song, que conhece o Doutor em seu futuro e espantosamente tem uma chave de fenda sônica parecida com a dele e sabe o verdadeiro nome, em linguagem de Gallifrey, do Doutor, o que deixa todos em dúvida de por que ela teria toda essa intimidade com o Doutor (eu amo a River Song).
Nos episódios especiais de final de temporada o Doutor enfrenta novamente uma invasão Dalek na Terra e é ajudado por nada menos que todo o elenco de companheiros da série até ali: Rose, Martha, Sarah Jane, Capitão Jack, o pessoal de Torchwood, de Sarah Jane Adventures e muito mais, todos ajudando o Doutor a vencer os Daleks. A partir daí começa a sequência de capítulos que levam a regeneração do 10º para o 11º Doutor, e a saída do produtor para entrada do novo. 

End of Time: Parte 1 – O capítulo de natal, o penúltimo do 10º Doutor e sobre a batuta de Russell T. Davies, o Mestre retorna com um plano novo, transformar a raça humana inteira em seus clones.

End of Time: Parte 2 – Galifrey retorna com Rassilon em seu comando, usando o Mestre para isso e o Doutor termina salvando a humanidade e vencendo não só o mestre como Rassilon e para isso fica a beira da morte.

Sendo obrigado a regenerar em uma das cenas mais emocionantes entre todas as séries de TV que já assisti, ele se despede de todos os companheiros em seus últimos momentos e volta a TARDIS para a regeneração propriamente dita, com a música Vale Decem de fundo (de Murray Gold, que compõe todas a trilhas da série desde de 2005 até hoje), nessa cena tocante nos despedimos de David Tennant e o 10º Doutor e damos as boas vindas ao 11º Doutor (Matt Smith, o atual).

Quinta temporada


É a primeira temporada com Steven Moffat como produtor e escritor principal, a primeira também com o 11º Doutor (Matt Smith) e sua companheira nova, Amy Pond (Karen Gillan). Futuramente farei um post falando apenas sobre o décimo primeiro doctor, porque tem muito, muiiiito material legal sobre ele :-)

Atualmente Doctor Who está em pausa na sua sétima temporada.























David Tennant
















Matt Smith

Capitão Jack Harkness, O CARA :-D


A divertida River Song.




2 comentários:

Kezia Martins disse...

Minha amiga fala tanto dessa série que eu estou pensando seriamente em começar a ler rs
Eu já acompanho muitas, por isso fica difícil acompanhar mais uma. Mas, eu vou aproveitar um fim de semana que eu esteja de bobeira e vou assistir umas 2 temporadas haha
Beijinhos
http://fulanaleitora.blogspot.com.br

Arismeire Kümmer Silva disse...

Oi, Kezia :-)
Doctor Who vale a pena. Você pode pensar que é uma série muito absurda, com todos os inimigos meio trash e tudo o mais, mas é perfeito. Tem altos e baixos, como a maior parte das séries, mas é sempre boa :-)
Bj, Aris.

 
Mistério das Letras Blog Design by Ipietoon