A garota que Adorava tom Gordon

The Girl Who Loved Tom Gordon

Stephen king



SINOPSE:

Neste livro acompanhamos Trisha McFarland, de nove anos, que é uma fã incondicional de Tom Gordon. Em uma caminhada com o irmão e a mãe recém divorciada a menina se perde na floresta. Tudo o que traz consigo é um sanduiche, água e alguns aperitivos, além de um walkman, através do qual segue o relato dos jogos do seu herói, criando com este uma amizade imaginária. À medida que avança para o coração da floresta, percebe, porém, que o novo amigo não é a sua única companhia...

COMENTÁRIOS:

O maior defeito deste livro é não ter muito o que explorar. 
É um livro bem escrito, com personagens interessantes e uma protagonista fácil de gostar, mas depois de um tempo tudo parece se arrastar. 
A história é sobre uma garota de 9 anos que se perde na floresta durante uma trilha feita com a mãe e o irmão adolescente e que tem de sobreviver enquanto busca por ajuda e é perseguida por alguma espécie sobrenatural de animal. Durante o tempo que está perdida a menina conversa com Tom Gordon, seu jogador de baseball favorito e isto lhe dá forças para continuar.
Trisha, a protagonista, é uma menina esperta para a sua idade e também mais adulta do que a mãe acredita. A menina se sente mais próxima do pai, recém separado da mãe, apesar desta tentar fazer a filha desgostar dele. Alias, a mulher é um Bitch de marca maior, capaz de tentar jogar os filhos contra o pai (um cara aparentemente legal) depois de abandoná-lo, jogando a culpa do fim do casamento em cima dele. Para completar arrastava os filhos para fazer programas que ela achava que os aproximaria, sendo que os dois odiavam tudo que ela escolhia, já que ela só pensava em si mesma e nunca neles. Além disso tudo ela teve a capacidade de perder a filha em uma trilha feita numa floresta no Maine.
O que não me convenceu foram os erros cometidos por Trisha, que, esperta e inteligente como era, escolheu seguir pelo caminho errado e, ao invés de voltar depois de ter percebido seu erro, continuou caminhando cada vez mais para dentro da floresta ao longo de dez dias!!!! Além disso, King descreve uma intoxicação alimentar provocada na menina por ingestão da água do rio; água corrente e limpa. Que eu saiba isso não é possível.
Em suma, eu não sou uma apaixonada por baseball e nem entendo nada sobre o esporte, o que reduziu bastante meu interesse pelo livro.
Valeu pela curiosidade, já que A garota que Adorava Tom Gordon é um exemplar muito, muito diferente do que king geralmente escreve. O elemento sobrenatural é muito discreto e não faria falta, já que a menina não chega a ser realmente confrontada com ele exceto no fim e mesmo assim o confronto é de menor importância.

AQUI!!!!
Ambas as capas são parecidas,
mesmo assim escolho a segunda.

2 comentários:

Jossi disse...

Esse foi um dos livros de SK (pouquíssimos, já digo) que parei e abandonei. Como você diz, o livro é arrastado e monótono, porque no final de contas, parece só haver uma única personagem, a menina (pelo menos até onde li). E como eu odeio livros onde crianças são maltratadas ou sofrem, seja qual for o motivo, larguei esse na parte em que Trisha se viu mais perdida do que nunca...

Uma pena, pensei. O livro podia ser bem mais desenvolvido, tinha potencial para criar um cenário mais rico, mais personagens, mais tramas paralelas, mais enredos paralelos, mas se reduziu a uma coisa só... E quando imaginei que o final só podia ser um, desisti. Ah, não...

E vejo que eu tinha razão, já que você achou o mesmo.

;)


Arismeire Kümmer Silva disse...

Pois é, eu achei chatinhos, apesar de saber antes de ler que a menina ia penar, afinal, estamos falando de Stephen King, ele sempre ferra com as crianças, hehehehe. Mas ela acaba se dando bem. Pena que não gostei muito >< Prefiro os monstros e adultos e de preferência, sem animais (ele sempre mata os animais).
Bj, Aris.

 
Mistério das Letras Blog Design by Ipietoon