Tudo o que Peço

This Is All I Ask

Lynn Kurland


SINOPSE:

É uma comovente história de duas almas feridas... Gillian de Warewick é uma heroína improvável. Alta, magra, com um rosto que sempre foi chamado de comum, Gillian é uma criatura tímida e miserável, com total falta de confiança. Seu único prazer é o seu treino secreto na espada que foi promovido por seu falecido irmão, William, um prazer que por muitas vezes recebe espancamentos nas mãos de seu pai. Gillian fica horrorizada ao saber que seu pai praticamente a vendeu a Christopher de Blackmour, um guerreiro que dizem praticar magia negra. Um amigo de Christopher, Colin of Berkhamshire, um guerreiro de renome, chega para escoltá-la para a casa de seu novo marido, na costa do norte da Inglaterra. Ao protestar Gillian ganhar um golpe no rosto de pai. Desesperadamente com medo e inseguro de como escapar, Gillian vai com Colin. Colin parece simpático, e sua proteção é um pouco de alívio. O castelo de Blackmour não é o que Gillian espera. Uma formação rochosa muito acima do mar, ela fica encantada ao ver as ondas contra as rochas muito abaixo de sua janela. Seu primeiro vislumbre de Christopher é menos animadora. Ele mal da-lhe um olhar, reforçando a sua crença de que ela é a criatura mais feia da cristandade. O seu próprio marido ser mal olhar para ela. Christopher não podia reagir a sua aparência. Ele é cego, o resultado de um ataque há vários anos. Sua reputação como um servo de Satanás é um escudo cuidadosamente para evitar que seus inimigos ataquem suas terras. Gillian rapidamente descobre a aflição de Christopher, e quando ela começa a entender a sua vulnerabilidade seus sentimentos mudam. Se ela não fosse feia. Se ela tivesse mais coragem. 

COMENTÁRIOS:

Antes  de tudo: POR QUE A CRIATURA SE PREOCUPA SE É BELA OU FEIA QUANDO O MARIDO GATO DELA É CEGO???????
Bom, vamos a história. A mocinha, Gillian,  é uma daquelas mocinhas que mais detesto: sofredora, humilde, uma verdadeira pobre coitada. Seu pai a tratava na base da paulada e ela só fazia se arrastar e chorar (uff).
Daí o pai malvado a vende em casamento para Blackmour e ela fica em pânico, pois correm boatos de que o homem é um feiticeiro do mal... tá... bom, ela é bem recebida, mas continua se comportando como um ratinho medroso, sempre a espera de um ataque do gato.
O marido é cego, mas faz de conta que não. A moça, apesar de idiota, percebe. O marido, além de cego, é mais traumatizado do que a esposa. Na verdade, a história é cheia de pessoas traumatizadas... os bonzinhos são bons e os mauzinhos maus, sendo que o pai da protagonista é o mais malvado de todos.
Sinceramente, as passagens em que a autora tenta fazer graça são sofríveis e, ao invés de parecerem engraçadas elas parecem desajeitadas e infantis. As personagens também se comportaram várias vezes como adolescentes e isso me irritou muito. O que dizer do protagonista, traumatizado (mais uma vez esta palavra) pela primeira esposa-má, decidir que a segunda esposa (igualmente traumatizada) é tão ruim quanto a anterior só porque a coitada foi visitar a prostituta da vila para saber o que fazer para engravidar. E, decidindo isso, ele expulsa a coitada do castelo, sendo que ele casou com ela devido a promessa que fez ao irmão da moça - e seu amigo - de que cuidaria dela por toda a vida. Além disso, o cara é cego e apenas duas pessoas, além de Gillian, sabem disso e então eu me pergunto, como?? 
Christopher é cego, vive em um castelo, treina com seus homens (geralmente derrotando todos eles em combate) e NINGUÉM percebeu que ele é cego. A autora justifica citando na história que o protagonista decorou a posição dos móveis...claaaaaro... um castelo cheio de servos e a família, e os guerreiros e sabe lá quem mais e TODOS os móveis estão sempre no mesmo lugar. Além disso imagino que ninguém mudava nada do lado de fora do castelo, onde ele treinava seus guerreiros.
Outra coisa inútil na história é a presença de 3 bruxas, que não parecem realmente bruxas e que estão lá só para encher as páginas). Juntem a isso tudo uma mocinha que de tão inocente parece ser dona de um QI muito baixo e vocês podem ter uma ideia da trama. Não gostei (eu devia ter imaginado, já que nunca li nenhum romance medieval que me agradasse).


A capa é interessante.
Posso afirmar que resolvi ler a história 
mais pela capa do que pela sinopse.

6 comentários:

Margareth Gervason disse...

Fiquei curiosa, não sou muito de ler, diferente da filha que é igual cupim...kkk
Também adoro variar cores.
Obrigada pela visita
Tenho uma ótima 5ª feira!
Beijos Coloridos!♥♥♥

Samantha Culceag disse...

Oi, tudo bem?
Pelo que você falou na postagem, Gillian deve ser um protagonista bem fraquinha!
Como assim NINGUÉM percebeu que o personagem é cego? Eita, que estranho!
A única coisa que me chamou atenção nesse livro, foi a capa!
Beijos... Samantha Culceag.
Só pra Menores

Chrysthie Audi disse...

Aris,
Ai meu Deus... verdade... se o marido é cego pra que se preocupar tanto com a beleza?
E se fingir de cego e ninguém perceber é meio forçado hein?!
Achei o livro meio depressivo com essa coisa de que quem é bom é bom e quem é mau é mau... na vida real não é bem assim não!
Beijos
Chrys Audi
Blog Todas as coisas do meu mundo

Arismeire Kümmer Silva disse...

Obrigada pela visita, Margareth :-)
Eu sou uma traça, hehehehe. Amo ler.
Sobre os esmaltes, sou louca por eles. Das cores mais doidas as mais discretas ^^.
Bj, Aris.

Arismeire Kümmer Silva disse...

Olá, Samantha. Pois é, no fim só a capa chama a atenção, porque a história ficou devendo ^^
Bj, Aris.

Arismeire Kümmer Silva disse...

Olá, Chrys Audi. Olha, o livro é tão chato que nem se quer consegue ser depressivo, hahahahaha.
Bem vinda.
Beijos, Aris.

 
Mistério das Letras Blog Design by Ipietoon