Darkness Chosen 04 - Entre as Chamas


Darkness Chosen 04: Entre as Chamas

Christina Dodd

O extremamente bonito policial Doug Black está decidido a encontrar sua família biológica, que abandonou-o sem nada, além de uma aterradora herança: a habilidade de transformar-se em um selvagem e dourado puma. Sua busca o leva até uma mulher tão destemida e exótica como seu nome. Firebird Wilder está muito familiarizada com os poderes sobrenaturais, e foge ao descobrir o segredo de Doug, deixando-o sozinho uma vez mais.

Porém, ninguém pode escapar de um puma selvagem na caçada. Quando ele a encontra, ambos devem decidir o que é mais poderoso: o amor que os une... ou os segredos que ameaçam separá-los.



Darkness Chosen 03 - Entre as Sombras


Darkness Chosen 03: Entre as Sombras

Christina Dodd

Abençoado (ou amaldiçoado) com a habilidade de transformar-se em uma pantera, e impulsionado por uma alma escura que aceitou como seu destino, Adrik Wilder abandona sua família e sua honra para levar uma vida de maldade com todos os vícios possíveis, incluindo seqüestrar Karen Sonnet para utilizá-la para seus propósitos egoístas.

Mas o espírito e a paixão de Karen fazem que se questione a força da maldição de sua família. E quando um novo mal surge, Adrik deve escolher se busca vingança contra seus inimigos e redime sua alma, ou se salva Karen de um destino pior que a morte.



Darkness Chosen 02 - Toque da Escuridão


Darkness Chosen 02: Toque da Escuridão

Christina Dodd

Bonito e poderoso, Rurik Wilder tem o poder de transformar-se em uma feroz ave de rapina.
Um dom que já causou morte e destruição, até que lhe oferecem a chance de se redimir.
Apenas uma mulher está em seu caminho.
Nas ilhas Orkney, Rurik chega a uma cova, ao mesmo tempo que a repórter Tasya Hunnicutt, uma bela escritora, determinada a vingar-se dos assassinos que assassinaram sua família.
Assassinos, que segundo rumores, têm poderes humanos que não deveriam nunca possuir...




Darkness Chosen 01 - Fragrância da Escuridão


Darkness Chosen 01: Fragrância da Escuridão.

Christina Dodd

Há mil anos atrás, Konstantine Varinski vagava pelas estepes russas.
Movido por seu desejo de poder, ele fez um terrível pacto.
Em troca da habilidade de mudar de um magnífico guerreiro para um cruel predador que caçaria seus inimigos e os mataria, ele prometeu sua alma – e as almas de seus descendentes – ao diabo.

Ann Smith ama seu belo e dinâmico chefe, Jasha Wilder, mas seu ousado plano de seduzi-lo dá errado quando ela se encontra com um lobo negro se aquecendo diante do fogo. Perante seu olhar horrorizado, o lobo se transforma no homem que adora.
Ela foge, ele a persegue, mas eles não podem escapar de seus destinos.
Porque Jasha é descente de Konstantine Varinski e Anne é a mulher destinada a quebrar a maldição que prende a alma dele. Para encontrar o paraíso nos braços um do outro, eles têm de enfrentar o inferno.



O Escândalo da Princesa



Suzanne Enoch, Saga Griffin 04.
BAIXAR AQUI
Inglaterra, 1813, Pecados de um duque... Sebastian Griffin, o duque de Melbourne, criou os irmãos mais novos, educou-os muito bem e cuidou para que os três fizessem um bom casamento. Considerado o homem mais poderoso da Inglaterra, Sebastian tem uma reputação impecável, de homem íntegro, que nunca se envolveu em escândalos. Até agora.

Josefina Katarina Embry é uma jovem belíssima, que afirma ser a princesa de um país longínquo. Enquanto ela deslumbra a alta sociedade com sua graça e encantos, Sebastian desconfia de que ela está tramando alguma coisa e decide desmascará-la... sem imaginar que iria se sentir irresistivelmente atraído pela sensualidade de Josefina e por seus beijos apaixonados. Ele sabe que um caso amoroso entre ambos provocará um escândalo, mas o homem mais poderoso da Inglaterra arriscará sua reputação por uma suposta princesa, ou permitirá que o mais pecaminoso desejo governe seu coração?

A Princesa Indiana



Suzanne Enoch, Saga Griffin 03.


Londres, Século XIX, Desejo à primeira vista... Ela era uma visão, uma princesa exótica que flutuava pelo salão de baile, evocando imagens de noites quentes e lençóis de seda, e Charlemagne Griffin sentiu como se tivesse sido atingido por um raio, e... Bem, ficou muito interessado. A dama não se enquadrava nos parâmetros exigidos pela aristocracia inglesa, como ele logo descobriu, mas seu rosto de beleza incomum e seu corpo tentador compensavam essa falha. E antes que se desse conta, Charlemagne começou a se vangloriar de um negócio que pretendia fechar, apenas para impressionar aquela jovem encantadora... Sarala Carlisle podia parecer ingênua, porém, tarde demais, Charlemagne descobriu que ela encobria uma inteligência aguçada e uma intuição infalível... e que lhe passara a perna! Entretanto, tratava-se de um jogo para dois participantes, e uma das muitas habilidades de Charlemagne era a arte da sedução. Naquele duelo, porém, a única coisa que estava em risco era o coração do perdedor...

Como Fisgar um Marido



Suzanne Enoch, Saga Griffin, 02.


Inglaterra, 1812, Infalível sedução... Para Zachary Griffin, nada pode ser mais interessante do que ensinar às lindas irmãs Witfeld algumas técnicas especiais para conquistar o coração de um homem e levá-lo ao altar... Além disso, instigar a encantadora Caroline à tentação será incrivelmente delicioso! Caroline é a mais inteligente e a menos fútil das irmãs, mas Zachary ainda não se deu conta de que os insistentes olhares dela nada têm a ver com atração e sim com a oportunidade de ser admitida num ateliê de arte. Se ela conseguir retratar na tela aquele rosto másculo, aquela expressão aristocrática e aqueles ombros fortes, talvez seu sonho se torne realidade. Caroline, porém, logo começa a ter outro tipo de sonho. um que envolve o charmoso Zachary e um comportamento não muito apropriado para uma dama dedicada à sua arte... a menos que ela se dedique à arte de amar!

Marido Por Encomenda


Suzane Enoch, Saga Griffin 01.


Londres, 1811 A espera de um marido sedutor... Eleanor Griffin sabe que um dia terá de se casar, mas até que esse dia chegue, ela quer flertar e namorar, como qualquer outra jovem de sua idade. Entretanto, temeroso de que a irmã se envolva em um escândalo, o duque de Melbourne pede a seu melhor amigo, Valentine, que fique de olho na espevitada Eleanor... Não poderia existir, em toda a Londres, um acompanhante menos qualificado do que Valentine Corbett, um homem tão libertino e devasso quanto bonito e atraente. Um conquistador incorrigível... e por quem Eleanor é apaixonada desde menina! Mas quem diria que Valentine seria capaz de se comportar de maneira tão honrosa e respeitável, como um perfeito cavalheiro, apesar do brilho de desejo que ilumina seus olhos sedutores? E Eleanor precisa tomar cuidado, pois ela prometeu se casar imediatamente com o homem escolhido por seus irmãos, ao menor sinal de escândalo...


Tempestade a Meia-Noite



Elizabeth Trehearne, Romance Rebeca.

A Capa não chega a ser feia, mas acho que ficou bem aquém das capas que os Romances Rebeca costumavam apresentar. A moça tem um rosto estranho, a roupa é feia e a casa, atrás dela, está sem detalhes. Além disso, a capa não tem nada a ver com a história. A história se passa na praia, em uma casa que serve de hospedaria e a mocinha é ruiva. Uma pena que pegaram qualquer imagem, pois capas que condizem com a história são muito mais interessantes.
Bem, a história até é divertida. Moça vai, a pedido da mãe, visitar a tia e ver se está tudo bem com ela. Encontra um convidado especial lá, um sobrinho do falecido marido de sua tia. os dois antipatizam um com o outro na hora (claro que mais tarde isso vira outra espécie de sentimento) e coisas estranhas começam a acontecer, como invasões noturnas e um atentado contra a tia da moça. A protagonista quer descobrir o que se passa, mas parece ter uma idéia fixa de que o sobrinho do marido de sua tia é o culpado de tudo e ponto final. Isso impede que qualquer investigação vá adiante, sem dúvida. Junte a tudo isso um furacão que está passando por perto, muda de direção e atinge o lugar e presto! Divertido sem pretensões, nem de longe.

Pesadelo em Terra Estranha



Julie Wellsley, Coleção Trevo Negro. Tenho pouco o que comentar sobre este livro. A Capa é horrenda e, pelo que me lembro da história, não tem nada a ver com ela. Parece mais capa de literatura pulp das sem charme. O cara em primeiro plano parece um mafioso e eu detesto histórias de mafiosos. Bem, a história do livro não tem a ver com mafiosos, mas é uma decepção do inicio ao fim. É chata, entediante. Não fiquei curiosa em momento algum e li mais por obrigação do que qualquer outra coisa. Detesto histórias em que a mocinha encontra cadáveres e eles somem e todos fazem de conta que não acreditam nela, ou realmente não acreditam. A trama é fraca e primam por certa bizarrice... bem, todos os personagens parecem doidos, de formas diferentes. Não recomendo mesmo!!!!

A Ilha das Lembranças Amargas



Dorothy Daniels, Coleção Rebeca. Muito boa a capa. Fundo lilás com a figura no centro. Temos uma mansão sulista bem ao fundo, com o pântano em seguida e a moça fugindo em pânico. Ela usa uma camisola bem decotada e um robe por cima, que parecem ser de um tom de verde. Os cabelos estão voando a volta e para trás, insinuando movimento. Eu gosto particularmente das gotas de água que os pés dela fazem voar ao correr. Muito bonita a capa, mesmo.
Na história ela não está em uma mansão sulista e sim em uma mansão em uma ilha. Herança de uma tia-avó ou algo assim. Na ilha, além da casa em que as tias que a criaram moram, há outra mansão, habitada por dois irmãos idosos e negros. Muito ela incomoda estes irmãos, especialmente a irmã, para saber sobre o passado deles e de sua tia-avó, que teve o noivo assassinado. O assassino nunca havia sido preso, então, ela resolveu que era um dos dois e que a tia, que ficou como suspeita, era inocente. Ela acaba indo para a ilha com uma amiga e um primo depois do noivo aprontar na véspera (ou dia) do casamento. Bem, o dito vai atrás dela e é assassinado, numa espécie de revival ao passado. História sem charme algum, sem suspense, sem nada de maior destaque. Acho que foi um dos piores livros escrito pela Dorothy Daniels.

O Vale do Silêncio



Sharon Wagner, Coleção Trevo Negro. A capa é adorável. Eu simplesmente amei o vestido dela combinando com a faixa na cabeça... tão anos cinquenta. Os cabelos também ficaram lindos, assim como as sapatilhas. A roupa e o penteado dela combinam a perfeição com a cena: moça descendo escada sorrateiramente, como se estivesse indo investigar algo proibido. Gosto de pensar que ela está descendo para as masmorras de um castelo, ou para a adega de uma casa muito, muito antiga. O amarelo alaranjado do fundo me da a sensação de que atrás dela há uma cozinha com seus fogões e assadeiras de pão de parede :-)
Bem, infelizmente a capa não faz jus a história. No inicio eu até a achei muito interessante... moça acorda em casa sem memória. A unica coisa da qual ela se lembra é, na verdade, um cãozinho. Ela não lembra do lugar, da casa, das pessoas... muito menos de seu marido. Aos poucos ela tenta se convencer de que vai lembrar do passado, mas também começa a desconfiar de que há algo errado. O livro começa a pecar ai. A criatura começa a ter todos os indícios de que ela nunca viveu naquele lugar e de que aquele cara que diz ser seu marido está mentindo e MESMO ASSIM, ela insiste em tentar se convencer de que está errada. Ela insiste em ficar lá, com cara de paisagem, mesmo percebendo que é prisioneira. Ela é o tipo de mulher que você fica com vontade de dar uma bordoada na cabeça!!!!! A parte do romance, então, é tolinha. Fraca. Nada atraente. Deve ser uma espécie de maldição... quanto mais bonita a capa, mais imbecil é a mocinha. Acho que vou começar a procurar livros com capas feias... quem sabe tenho mais sorte com o enredo e desenvolver ;-p


Portão Para a Morte



Helen Arvonen, Coleção Drácula. Gostei da capa. Moça bonita, com roupas características da década de setenta, descendo uma escada, com uma casa ficando atrás dela. Tenho a impressão de que ela está indo para um jardim, mas o ambiente é bastante sombrio. De acordo com a história, deve ser a entrada de um cemitério, mas eu gosto mais da idéia de que seja uma casa :-)
A história não foi muito do meu agrado. Nada de casas ou hotéis ou qualquer coisa sombria e sim uma espécie de campo de férias, com pessoas jovens, na maioria, sem segredos sombrios, exceto por um. O livro, apesar de fininho, levou meses para ser concluído, porque eu achava muito chata a leitura.
Moça vai a uma cidadezinha onde fica esta colônia de férias para procurar amiga que fora trabalhar lá e desaparecera. Ela não investiga praticamente nada, o romance é inexistente até que nas ultimas páginas ela se descobre apaixonada e sendo correspondida. Sem sensação de climax, sem grandes surpresas, sem grandes emoções. Muito fraco, apesar da capa interessante.

 
Mistério das Letras Blog Design by Ipietoon