Mistérios S.A.

Scooby Doo pode ser dividido em capítulos. O primeiro é composto pela primeira e segunda temporada, de 1969/1970 e chamadas "Scooby Doo Where are You?". Estas temporadas são as mais reconhecidas até hoje, e utiliza uma fórmula bem rígida, em que aparece um monstro, o grupo investiga até desmascarar alguém querendo ganhar ou roubar algo. O desenho faz uso de tons bastante sombrios, e isto também se reflete nas história, que, apesar de intercaladas com cenas de humor, mantém uma tensão e um tom estilo filmes de horror dos anos 50 assim como o desenho Jonny Quest.

Visual escuro e tons próximos dão visual de filme de terror

O problema é que, depois disso vieram séries menos inspiradas no lado terror e focou-se na comédia pastelão, com convidados especiais como o Gordo e o Magro, Batman e outros que não acrescentavam nada à história, que começou a ficar cada vez mais sem pé nem cabeça.

O que diabos esses dois fazem aqui?
A coisa só piorou com o passar dos anos, quando os produtores acreditavam que o desenho se resumia a situações sem pé nem cabeça e cores berrantes, como aconteceu com os filmes do Batman; É um problema corriqueiro com as pessoas dos anos 2000 querendo adaptar coisas dos anos 60, só se enxerga a parte ridícula.

Faltou bom senso para adaptar o visual anos 60 para os tempos modernos
Felizmente, existe vida além da primeira década do segundo milênio, como provam os novos filmes do Batman com o Christian Bale. E finalmente alguém com inteligência conseguiu fazer uma nova série do Scooby Doo, esta é a Mistério S.A. ou Mysteries Inc. no original.

Primeira regra de um longo desenho animado com uma longa linha de história: não se leve a sério! E aqui temos um dos melhores trunfos desse desenho, as piadas recorrentes aos antigos desenhos do Scooby, com frequentes referências aos casos da primeira temporada, o hilário "nós juramos NUNCA mais falar sobre ele" quando aparece uma imagem do Scooby Loo, ou até mesmo "lembra quando nós saímos só nós três Salsicha?" pergunta Dafne se referindo a um desenho em que eram apenas ela, Scooby e Salsicha na máquina do mistério, ao que ele responde "Isso nunca aconteceu!".

Segunda regra que Mistérios S.A. adota: ter uma história, não coloque todo o peso em cada episódio independentemente. E aqui temos a maior diferença para TODAS as outras versões, uma história contínua além do "caso da semana", um mistério que se encerra com um final de primeira temporada de arrancar os cabelos, digno de Arquivo-X. Isso mesmo, tem mistério da semana e mistério da temporada, e isso adiciona muito a cada episódio, pois a revelação desse grande mistério é feita com calma mas continuamente.

Outra grande diferença é o relacionamento, ou vários deles, entre os personagens. Uma turma de adolescentes viajando por aí num furgão sem destino? Esqueça! Temos pais, mães, irmãos e destaque para as três irmãs ruivas, lindas e talentosas da Dafne. Isso traz uma gama maior de situações que podem ser exploradas, como ter que sair de fininho na madrugada para ir investigar um caso ou, literalmente, esbarrando em um conhecido durante uma investigação. A família da Velma, por exemplo, é responsável por um museu turístico dos Horrores da cidade, onde vemos estátuas de cera dos casos antigos da turma, e o pai do Freddy é o prefeito, que deseja ardorosamente que eles NÃO apanhem os monstros, pois afinal, são eles que atraem os turistas para a cidade.

O que parece uma afronta ao velho esquema do desenho, na verdade torna possível a sua serialização, fazendo a série ir aumentando o ritmo e o mistério que cerca a história a cada episódio. A primeira temporada é espetacular e faz você arrancar os cabelos tentando descobrir alguns mistérios, ja a segunda temporada, infelizmente mostrou uma queda de qualidade, mas ainda assim vale a pena para acompanhar o enigma de Crystal Cove!

Uma coisa muito legal nesta nova versão é que temos participações especiais em vários episódios, sendo como figurante, sendo como atuante:

Bambam e Pedrita

Gwen Stacy

Jonny Quest

Gizmo

Vincent Price

Zé Colméia

Chispinha, Tutubarão, Capitão Caverna, Fantasminha Legal e muitos outros.

Não encontrei imagens, mas até mesmo Brenda e Dylan, da série Barrados no Baile, aparecem em Mistérios S.A. Tudo isso só torna o desenho mais legal ainda.

Nota: 9.

Beauty is the Beast

Tomo Matsumoto

SINOPSE:

Quando a esfuziante adolescente Eimi Yamashita descobre que seus pais vão se mudar por conta do trabalho ela decide se mudar para o dormitório das garotas em sua nova escola. Os colegas de moradia de Eimi são um pouco loucos, mas muito divertidos e ela vai viver muitas aventuras emocionantes com eles. Logo de cara Eimi deve passar por uma iniciação... e o teste tem algo a ver com uma invasão ao dormitório masculino para pegar algo no quarto de um dos garotos mais perigosos da escola...

COMENTÁRIOS:

Este é um de meus mangás favoritos. Eu gosto de mangás românticos, só não gosto que eles sejam românticos demais, heheeheh. Sempre prefiro o engraçado ao trágico e Beauty is the Beast é um bom exemplo. A mocinha é ótima: distraída  louca por comida, alegre, completamente doida... é impossível não amá-la. Não me entendam mal; o mangá tem romance, mas é algo mais implícito, mais etéreo. O bom é que os personagens secundários também tem suas histórias contadas, o que me fez amar cada um deles e sentir como se os conhecesse realmente.


V1C1

V1C2

V1C3

V1C4

V1C5

OMAKE



















V2C1

V2C2

V2C3

V2C4

V2C5

V2C6

















V3C1

V3C2

V3C3

V3C4

V3C5

V3C6

















V4C1

V4C2

V4C3

V4C4

V4C5

V4C6

















V5C1

V5C2

V5C3

OMAKE

RELEASE

Pequena Pausa

Para aqueles(as) que leem o blog, estou sem postar resenhas, etc há alguns dias porque nas ultimas duas semanas andei sem cabeça para escrever, preocupada com uns assuntos de saúde. Para completar peguei um resfriado e faringite bacteriana e, realmente, não dá vontade de escrever nada muito complexo com uma dor de garganta tão intensa, que espalhou até para os ouvidos. Quem sabe no fim de semana posto algo, já que comecei a tomar antibiótico hoje e parece que amanhã a dor não vai estar tão intensa. Pelo menos emagreci dois quilos e meio, hehehehehehe.
Beijos, Aris.

Sandman: Prelúdios e Noturnos

Volume 1
  • Autor: Neil Gaiman
  • Artistas: Sam Keith, Mike Dringenberg, Malcolm Jones III
  • Letras: Todd Klein
  • Cor: Robbie Busch
  • Cor: Daniel Vozzo
  • Capas: Dave McKean
  • Introdução: Paul Wilson

SINOPSE:

Esta edição contém as 9 primeiras edições que deram origem a um dos melhores personagens de "horror" e fantasia já criados. Saído da poesia insana de Neil Gaiman, Sandman tem o poder de, com apenas um punhado de areia, transformar sonhos em assustadores pesadelos, espalhando o medo... num eterno despertar.


CAPÍTULOS:

1) O Sonho dos Justos:
Sonho é preso acidentalmente por um homem que tentava capturar a Morte. Após 60 anos feito prisioneiro, Morpheus consegue escapar. Alguns elementos que aparecerão em arcos futuros já são plantados nessa primeira história, como a gravidez de Unity Kinkaid.

2) Anfitriões Imperfeitos:Sonho retorna para seu reino e encontra tudo desorganizado. Ele consulta as Três Bruxas a fim de encontrar seus artefatos de poder: a Algibeira, o Elmo e o Rubi.

3) Dream a Little Dream of me:Sonho vai a Londres, ao encontro de John Constantine, que o ajuda a encontrar a Algibeira. Este capítulo é um bom exemplo de uma forte característica no trabalho de Gaiman: utilizar letras de músicas, seja em títulos, diálogos ou mesmo ao fundo, como se fosse parte do cenário.

4) Uma Esperança no Inferno:Sonho vai ao inferno para reaver seu Elmo. Para tanto ele deve enfrentar o demônio Chorozon em um jogo traiçoeiro.

5) Passageiros:
John Dee (Dr Destino) e Sonho, cada um a sua maneira, tentam reaver o Rubi do Poder, que está em um depósito da Liga da Justiça. Dee estava no asilo Arkhan e, ao sair, nos presenteia com a história mais chocante que já li; violenta e perturbadora.

6) 24 Horas:
John Dee usa o poder da Pedra do Sonho para manipular pessoas em uma cafeteria enquanto aguarda pela chegada de Sonho e pelo confronto entre ambos. Mais violência em um nível que eu jamais havia encontrado em uma revista em quadrinhos e outra personagem, que virá a ser citada em arcos futuros.

7) Som e Fúria:Dee segue Sonho até o Sonhar, onde eles lutam pelo controle do Rubi.

8) O Som de suas Asas:
Sonho reencontra Morte... e leva uma tremenda bronca.

9) Contos na Areia:Um belo e triste conto de amor que serve de passagem da infância para a vida adulta.


COMENTÁRIOS:

Quando eu tinha 18 anos e estava avançando na minha febre por quadrinhos, descobri um encadernado completo de Neil Gaiman; tinha o nome Sandman, escrito bem grande na capa e o título era Um Jogo de Você. O preço era leve para o volume, que tinha a história completa (para quem não sabe - e eu não sabia na época - cada arco de Sandman tinha um título e era vendida em volumes fininhos e que custavam uns 10 reais; eu paguei uns 5 reais por toda a história). Foi assim que começou minha paixão por Neil gaiman e minha coleção do mundo dos sonhos.
Pois bem, 22 anos depois eu tenho quase todos os quadrinhos feitos por Gaiman e minha coleção de Sandman é completa, com volumes de luxo dos quais tenho muito orgulho. Comecei a reler cada um deles semana passada, então, decidi fazer as resenhas de cada arco. O primeiro arco consta de 9 histórias (na verdade são 8, com uma história de brinde, a nona, que dá pinceladas de uma personagem que vai ser importante no futuro, mais precisamente em Estação das Brumas) e se chama Prelúdios e Noturnos. Como Gaiman estava apenas apresentando o universo do sonho, as histórias ainda não haviam assumido as características do autor e toda a profundidade e poesia que ele conseguiu nos volumes seguintes.
Ao ler este volume inicial (ou as 8 primeiras publicações) o que ficamos sabendo é o seguinte: Um mago, que estava tentando capturar a Morte para que assim se tornasse imortal, comete um erro e prende Sonho, o irmão mais novo da Morte. Temendo as consequências de seus atos o mago mantém Sonho preso por décadas, sempre tentando uma barganha. Sonho nunca responde, ano após ano, aguardando sentado em sua prisão de vidro e magia. Chega então o momento (depois de uns 60 anos) e Sonho, ou Morpheus, consegue a liberdade e então retorna a seu reino (que está uma bagunça completa), para depois sair em busca de seus pertences, tomados pelo mago que o aprisionou e perdidos sabe-se lá onde com o passar dos anos. Nesta busca nós encontraremos, junto com Morpheus, John constantine (Alô, Monstro do Pântano e Hellblazer), Lucifer, alguns heróis e a Morte.
Em retrospectiva: Morpheus é o Senhor dos Sonhos, um dos Eternos, cujos irmãos são, por ordem de nascimento: Destino, Morte, o próprio Sonho, Destruição, Desejo, Desespero e Delírio (é divertido como todos tem nomes que começam por "D" em inglês).
O que mais gosto em relação a escrita de Neil Gaiman, especialmente em Sandman, é a forma com que ele incorpora mitos, fabulas e sonhos direcionados a um publico adulto. A escrita de Gaiman é eloquente, poética, cruel e íntima; parece que ele conversa diretamente com você, parece que aqueles personagens realmente existem e é importante para você que tudo dê certo para eles.
Não vou citar todos os artistas fantásticos que trabalharam junto a Gaiman ao longo dos volumes, pois foram muitos, mas preciso fazer um aparte para as capas fantásticas de Dave Mckean, que eu amei desde o primeiro segundo que meus olhos caíram sobre elas. A forma com que ele usa objetos e técnicas é soberba e me emociona e provoca uma grande inveja por não ter pensado em nada daquilo antes de ele ter me mostrado o caminho.
Este volume trata sobre ideias, arquétipos e, o mais importante, sobre sonhos. Sobre O Sonho, que é quem decide se teremos sonhos ou pesadelos e que reflete em como viveremos nossas vidas despertas. É nesta leitura que teremos a primeira visão de Morpheus, um protagonista surpreendentemente profundo e complexo. Ele pode ser maldoso e vingativo, distante e frio, mas também pode ser gentil e compreensivo, vulnerável e apaixonado. Nós damos vida a ele através dos sonhos, mas não se enganem, ele não é como nós, não pensa como nós e nem sente como nós. 
Quando comecei a reler Sandman fiquei surpresa ao constatar que as histórias continuavam tão fantásticas quanto eram quando li pela primeira vez. Meu olhar não era mais o mesmo, mas o encanto permaneceu. É interessante que este arco inicial de Sandman é considerado o mais fraco da série, mas é aqui, nestas páginas, que estão as sementes do que virá no futuro, tão perfeitamente entrelaçado. 

No Blog O Grito você pode ler mais sobre Sandman no texto Sandman para Iniciantes.
Esta é a capa do meu volume 1, 
capa dura e com toda a arte na parte interna, 
além de vários textos adicionais e fotografias.

Capas em inglês, variações.
Todas belas, é claro.

Marsha Mellow e Eu

Marsha Mellow and Me

Maria Beaumont

SINOPSE:

Amy escreveu um bestseller - o romance definitivo sobre sexo, drogas e rock´n´roll... só que sem as drogas e o rock´n´roll. Ela deveria estar curtindo o dinheiro, a fama e a matéria de oito páginas na Hello!. Em vez disso, faz aquilo em que é mestra - se esconde por trás do seu pseudônimo, Marsha Mellow. Talvez sua vida fosse mais fácil se ela conseguisse contar a verdade para a mãe. Mas a mãe de Amy sequer desconfia que a filha é uma fumante inveterada. Conseqüentemente, jamais poderia sonhar que a sua menina inocente é, na verdade, a autora do livro mais escandaloso da temporada. Mas por quanto tempo Amy conseguirá se esconder, ainda mais agora que os tabloides deram início a uma verdadeira cruzada para descobrir a verdadeira identidade de Marsha Mellow?

COMENTÁRIOS:

A protagonista Amy Bickerstaff escreveu um livro e o livro trata de sexo... muito sexo. Sexo das formas mais chocantes e diferentes, mas Amy é uma garota discreta, tímida e nem um pouco aventureira. Depois de terminar um relacionamento a retraída Amy escreve este livro inspirada nas aventuras sexuais de seu melhor amigo, Ant, que é o gay mais descarado da Inglaterra, e assina com um pseudônimo. O problema maior é que um tabloide londrino oferece dinheiro para quem descobrir quem é Marsha Mellow, a autora deste livro e que muitos adolescentes etão lendo (o que o tabloide e muitas pessoas consideram inapropriado). A vida de Amy, que já é uma droga, piora.
A mocinha não tem namorado, tem um emprego medíocre e é uma funcionária medíocre  Ela tem um chefe bonitão que quer ser mais do que seu chefe (a única coisa boa acontecendo em sua vida além do dinheiro que ela lucrou como Marsha Mellow). Sua família é complicada até demais; a irmã sempre namora caras estranhos ou marginais e daí se envolve com um certinho, mas as coisas viram do avesso (a irmã sabe o segredo de Amy). Seu pai é dominado pela  mãe e a mãe é uma bruxa que usa carro ao invés de vassoura.
A primeira vez que li achei o livro engraçado, mas da segunda mudei de opinião. Amy é um desastre e não fica engraçado. Ela é dominada por tudo e por todos, principalmente por sua mãe e é de uma incapacidade que dá vontade de gritar e depois dar uma surra nela.
Não espere uma grande reviravolta e mudança de personalidade ou comportamento frente a vida, porque isso não acontece. Amy começa envolta em mentiras e termina envolta em mentiras, embora sejam menos mentiras.
Por curiosidade vale a pena ler. Quem sabe vocês gostem, como eu gostei na primeira leitura que fiz.

AQUI!!!!
Capa da publicação brasileira.
Até que eu gostei.

Feia.
Mesmo!

Muito feia.

 
Mistério das Letras Blog Design by Ipietoon